A varinha de Viviane

Varinha

A varinha escolhe o feiticeiro, disso todos nós já sabemos.

Como tal, a varinha de alguém pode dizer muito sobre a pessoa em si.

O que vim hoje revelar-vos é o simbolismo por detrás da varinha da Viviane, que, como vocês não estão lembrados, é de cerejeira e contém um núcleo feito a partir do pelo da cauda de um unicórnio recém nascido. Outras características menos relevantes sobre a varinha são que esta mede 20 cm, é macia e extremamente flexível. Vale realçar que foi a primeira obra de Ollivander, ainda este era uma criança. O pai do vendedor desprezou a varinha, dizendo que nunca iria combinar com nenhum feiticeiro.

Mas… a nossa Viviane não é uma bruxinha normal. De facto, é mais especial do que vocês imaginam!

O.k, o.k, chega de enrolar, vou directa ao ponto, isto é, o que a varinha da Viviane tem a dizer sobre ela.

Unicórnio

Vamos começar pelo mais simples, o núcleo de pelo de unicórnio. Os recém nascidos da espécie possuem uma coloração dourada que se torna prateada quando crescem.

Estudei bastante sobre o tema e é com fidelidade que vos apresento as singularidades das varinhas que possuem pelo de unicórnio. São, para início de conversa, bastante fieis. Ora, claramente, na primeira fic da saga, é mostrado que a varinha da Viviane não pode ser usada por nenhum outro feiticeiro. É-lhe fiel. Mas não só a varinha não quer ser usada por nenhum outro dono, também nenhum outro é capaz de usá-la.

É aqui que entra a minha parte na história. É que as varinhas com núcleo de pelo de unicórnio não são muito poderosas. De facto, dos três núcleos, este é o que tem menor poderio (aquele que mais poder possui é tendão do coração de um dragão). A Viviane tem um excesso de poder muito difícil de canalizar para um instrumento. Por isso é que lhe foi tão difícil a procura por uma varinha e porque demorou tanto tempo a adaptar-se a ela. O unicórnio ao nascer tem toda uma vida pela frente, é muito jovem e enérgico. Precisamente por isso é que escolhi o pelo do unicórnio bebé como núcleo da varinha da Viviane. Apenas este tinha a eficácia para guardar-lhe a magia. Ainda assim, como podem ver no fim da fic, o poder da nossa moreninha extravasa e ela vê-se a praticar magia com as próprias mãos. Quão mais pode o poder dela crescer e como isso a afectará no futuro? São perguntas muito válidas que podemos colocar-nos.

Outro aspecto que é interessante observar é que o unicórnio é uma criatura que pode conceder vida. Voldemort alimentou-se do sangue de unicórnios para subsistir, se bem se recordam, em “Harry Potter e a pedra Filosofal”.

Entendem onde quero chegar? Viviane tem incríveis poderes de cura, cuja extensão é ainda um mistério. Alguns de vocês podem ter começado a cogitar. Se o unicórnio pode manter alguém vivo estando essa pessoa à beira da morte, conseguirá a Viviane fazer o mesmo algum dia? Que fixe, sim! Mas lembrem-se do outro verso da moeda. Ao beber-se o sangue de um unicórnio, tem-se uma vida amaldiçoada. Nada tem apenas um lado bom!

Cerejeira

O que tenho a dizer sobre a madeira com que foi construída a varinha da Viviane vai-vos fazer trepar paredes.

Mas calma, calma, primeiro desejo dar-vos a conhecer algumas informações simbólicas sobre esta belíssima árvore. O fruto, a cereja, represente a sensualidade, por causa da sua cor vermelho viva. Nem preciso de dizer mais nada, né, pessoal? Viviane é a mais popular da escola devido à sua beleza ímpar. Mas não pensem que esta beleza é casual! Ela tem um motivo! Só não vos posso revelar ainda qual é 😉

A cereja representa também a castidade feminina e a pureza do amadurecimento da fruta. Uma vez arrancada, no entanto, esta representa a perda da inocência e da virtude. O que pode querer isto dizer? Dou-vos uma dica e somente isso. Transição. Uma dolorosa transição que porá em causa os valores da nossa feiticeira. Como criança, Viviane foi alegre, inocente, de muito bom coração. Terá que lutar para manter isso, mesmo o destino impondo-lhe obstáculos. Senão corre o risco de apodrecer.

E, finalmente, conto-vos a metáfora que mais vos deixará ansiosos. Na cultura Japonesa, a cerejeira é associada ao samurai, cuja vida é tão efémera quanto a da flor, tão frágil, que se desprende da árvore nos fins de Primavera. É isso mesmo, meus caros, Viviane tem os dias contados!

O que há com essas bocas abertas? Estou a dizer-vos que ela vai morrer jovem! Mas quão jovem? 17 anos? 30? Uma coisa vos garanto, Viviane não vai morrer de velhice. É a sua sina, a sina de uma vida curta mas intensa. A de uma morte trágica e sangrenta.

Adeus, foi um prazer falar com vocês! 😀

Amo todos os que se deram ao trabalho de ler isto tudo ❤

Advertisements

2 thoughts on “A varinha de Viviane

  1. SOFIAAAA! 😦
    Não acredito. NÃO ACREDITO.
    Menina, essa mania de matar os personagens principais ou secundários é minha, não sua!
    Tadinha da Viviane, poxa… :O
    Eu até fiz isso sim (SPOILER). MAS POXA.
    Deixa eu chorar ali no canto e já volto…
    P.S. Ok, fiquei chocada. NADA DISSO PASSOU POR MINHA CABEÇA. NUNQUINHA O__O

    Liked by 1 person

    1. kkkk, tua? Tiraste patente, foi? Na verdade desde os meus 14 anos que tenho fetiche por matar personagens.
      Como vês, cada vez mais eu retiro prazer disso.
      E a Viviane ainda pode viver muitos anos. Ou não. Depende, o conceito de juventude é tão delicado. Não é bestial a sensação de incerteza que instalei? Posso matar a Vi a qualquer momento.
      É normal que não te tenhas apercebido destes pormenores, era precisa alguma pesquisa sobre varinhas.

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s